A melhor pessoa para falar sobre o seu trabalho é você!

Contratar um serviço de inbound marketing é algo que todo mundo quer. Mas, você já parou pra pensar que a melhor pessoa para falar sobre o seu trabalho é você?

Eu não acredito nesses termos técnicos do marketing. Nos milagres da atração e fórmulas mágicas de venda. Eu acredito em autoconhecimento e autoexpressão, em experiências reais que se tornam conteúdos atraentes por si só. Em produtos e serviços que se vendem porque são autênticos (afinal, o que é a crise que estamos vivendo se não uma crise de valores onde estamos repensando o consumo)?

No jornalismo, aprendemos que não devemos inventar histórias, elas têm que ser reais. Mas essa linha é muito tênue quando se fala em marketing de conteúdo. Cuidado para não se sentir atraído demais pelas agências que prometem reinos e céus e depois perceber que era tudo confete e serpentina.

É claro que nem todas as pessoas se sentem seguras para escrever ou tem tempo para parar na frente do computador e criar. Mas vamos combinar? Tudo o que você precisa já está aí dentro de você!

Quem pariu seu trabalho foi você, quem propõe a solução para o seu cliente é você, quem vende é você. Você pode não ter percebido, mas o seu conteúdo está pronto — aliás, ele faz parte da sua expressão da hora que acorda a hora que vai dormir.

E verdade seja dita: o medo que mora aí dentro não é o de escrever mal. É do desconhecido buraco sem fundo que é a internet. É de expressar o que você acredita, é se apropriar da sua mensagem e do alcance que ela pode ter! Confessa?

Vai dizer que você nunca teve um diário onde desabafava os sentimentos? Vai dizer que você não mirabolava planos pra realizar os seus sonhos? A ideia da escrita é a mesma. Você não precisa pensar muito.

Comece escrevendo rascunhos, colocando seus pensamentos em ordem. Durante o processo, você vai ver que vão surgir novas ideias. Vai escrevendo, relendo, absorvendo a mensagem que quer passar.

O pensamento ficou organizado? 
Sua linha de pensamento sugere uma pergunta e resposta? 
Tem reflexão no meio? 
Apare as arestas e vá em frente!

Nós, que vivemos do que fazemos, passamos horas por dia pensando no mesmo assunto. Não faz sentido contratar uma empresa (passo 1) que vai contratar uma pessoa (passo 2) para pensar (passo 3) em como discursar por você (passo 4). Perceba quantos passos são necessários dar até o conteúdo ficar pronto. E é bem provável que quando você receber para aprovação (passo 5), pense: “eu não falaria isso, dessa forma”. E volta tudo.

Tá sem tempo? Não tem saco? Minhas sugestões são:

Marque uma conversa com alguém e liste em tópicos as reflexões que vocês tiveram sobre o tema que discutiram. Se preferir, pague alguém para transformar o papo em um conteúdo legal e compartilhável.

Escreva pequenas reflexões que aparecem ao longo do dia no bloco de notas, depois reúna em um único lugar.

Não se dá muito bem com a tecnologia? Vá distribuindo as ideias em posts its, depois aprofunde uma a uma, nos rascunhos do blog. Quando a coragem vier, poste.

Pratique. Você vai ver que daqui a pouco as ideias se transformarão em textos enquanto você espera chegar o cafézinho na padaria.

Se mesmo assim você achar que é mais fácil contratar uma empresa que vai contratar alguém para escrever por você, apenas faça um favor: transmita informações e experiências verdadeiras, ajude o estagiário a fazer um bom trabalho. Você otimiza tempo, evita idas e vindas e fica autêntico.

É nesse tipo de “inbound marketing” que acredito, que, aliás, prefiro chamar de: conteúdo de verdade.

Em maio começará a segunda edição do curso de Identidade Digital. Participe!

Mayara CastroComment