O que aprendi sendo dona do meu nariz

Empreendo por uma vida com mais autonomia e liberdade. Essa foi uma das escolhas mais decisivas da minha vida, porém, aconteceu naturalmente. Tenho minhas prioridades:

Se tenho desejos, crio planos. Se tenho planos, me comprometo com prazos que eu me coloco. Mas, no meio do caminho, se tenho com cólica, respeito a dor. Se tenho insônia, respeito o sono quando ele vem. Se quero criar algo novo, vou lá e faço, envolvendo fins de semana e feriados.

Muitas vezes culpamos a vida por não viver como gostaríamos. Mas, o que você está fazendo para realizar suas vontades? Já experimentou dar ouvido à elas?

Depois de um tempo, tem certas chavinhas que viram, não tem jeito.

Em três anos, aprendi que:

  • O caminho muitas vezes é solitário e a gente não tem com quem trocar no dia a dia, ou seja: ousamos mais, experimentamos mais e erramos mais.

  • Ter pessoas com quem possamos contar, seja para pedir uma opinião ou para ajudar em um assunto que não dominamos muito, é importante.

  • A relação de hierarquia se quebra, seja quando contratamos ou quando somos o contratado.

  • Quando erramos pontualmente, não adianta muito ficar buscando culpados. Perdemos tempo, energia, nos desgastamos com algo que não é o foco.

  • Manter as relações harmônicas desgasta menos e tudo flui melhor quando entendemos que o processo é construído em conjunto.

  • Ser protagonista da própria vida é ser líder de si mesmo.

  • Ser líder é ser assertivo. Ser assertivo é ouvir todos os lados. Observar e ouvir mais é melhor do que falar pelos cotovelos só para atrair atenção.

  • O que dizemos do outro diz mais sobre a gente do que sobre o outro.

  • A solução que criamos serve, na verdade, para curar um problema nosso.

  • Muitas vezes não adianta chorar porque algo deu errado. O negócio é ir lá e consertar.

  • Se deu errado é porque erramos também.

  • Fazer um trabalho puramente por grana vai fazer a gente gastar mais com baboseiras para compensar a infelicidade.

  • Fazer um trabalho por fazer vai exigir o dobro de tempo e esforço.

  • Focar apenas nos clientes e não dar atenção para os nossos projetos pessoais é como ir morrendo aos poucos.

  • Ficar preso na própria bolha e não criar meios de interagir com ideias de outras pessoas, porém, limita.

  • É melhor ter vários tipos de serviços para atender diferentes necessidades do que um só.

  • É melhor atender várias pessoas cobrando menos, do que poucas cobrando mais.

  • Quanto mais treinamos, mais nos aperfeiçoamos e aprimoramos a nossa entrega.

  • Cada cliente é um reflexo de nós mesmos

  • Dar fim em uma relação mal-sucedida é nos presentear com pelo menos 8 horas a mais por dia.

  •  "Bitch Better Have My Money"

  • Dormir é essencial

Essa lista não tem fim.

E você, o que tem aprendido com a sua autonomia e liberdade?

Mayara CastroComment