Mais importante que o seu site é o seu conteúdo

 

Hoje em dia, todo mundo quer um site. Eu vendo sites. Não sou programadora, mas isso pouco importa. Hoje em dia, existem vários sites que vendem templates para você fazer o seu próprio site. São lindos, limpos, funcionais e super acessíveis. Você não tem site? Como assim?  

Se você achava que ter um site, uma página no facebook ou um perfil no instagram resolveria os seus problemas, sinto dizer que não é bem assim. Vamos com calma que o buraco é ainda mais embaixo.

Como na vida real, onde o corpo é uma vitrine que dá acesso à outras camadas de nós mesmos, por sinal bem mais interessantes, na vida online, um site só faz sentido se, a partir dele, você permitir acesso ao que você tem de mais relevante: seu conteúdo. 

Sim, a internet é uma bola de neve e ela vai te engolir se você não procurar entender como ela funciona. Tecnicamente, as redes sociais existem para nos ajudar a nos expressar de diversas formas. Mas, na prática, a gente se confunde mesmo. Snapchat, what? Pede pra parar, que eu quero descer. Mas, a vida é assim: ou a gente entende que a tecnologia vem para nos ajudar e se adapta à ela, ou a gente fica olhando o bonde passar. O que é mais desconfortável? Não sei.

Um site, uma página ou um perfil por si só, não são suficientes para uma comunicação eficiente, simplesmente porque a internet exige interatividade. Assim como na vida real: por acaso, você já ganhou alguma coisa sozinho e parado? 

A verdade é que, independente do meio, precisamos ter presença, potência e energia para ir em busca do que queremos. E precisamos de pessoas. De rede. De comunidade. O que muita gente não sabe é que é bem mais fácil quando a gente tem em mãos alguns recursos que podem nos fazer chegar em mais gente, de um jeito bem mais rápido. E a internet nos presenteia com todos eles.

Antes de colocar o seu site no ar, pare pra pensar:

1. O que você oferece?
2. Qual é a sua contribuição única?
3. Onde você quer chegar?
4. Com quem você precisa interagir para te ajudar a fortalecer o que você tem de melhor?
5. Quais são as ferramentas disponíveis e mais adequadas?

Nos dias 7, 14, 21 e 28 de junho darei o curso Criando o Meu Manual de Identidade Digital, uma base para quem precisa de uma mãozinha para se conhecer melhor e se comunicar com clareza, fluxo e profundidade na vida online e na vida real. Se você se interessou, fale comigo ou inscreva-se pelo Cinese.