Quer consumir conteúdo interessante? Então seja interessante!

 

Na próxima semana, começa o curso Criando o meu Manual de Identidade Digital, onde criaremos uma base para você aprender a se posicionar de forma consistente na vida online e, claro, na vida real também, porque né, é tudo a mesma coisa. 

Aproveito para dizer que, nessa reta final, quem se inscrever entre hoje e amanhã, leva um descontinho de 20% no curso. Para saber mais, fale comigo

E o assunto que trago hoje é justamente: como criar consistência na sua comunicação online expressando sua verdadeira essência (você é a melhor pessoa para fazer isso, você sabe)? Como se posicionar de maneira constante, interativa e sem ser @ chat@ das redes? 

Conhecer o seu conteúdo é o primeiro passo para criar conteúdo interessante. Mas, pra isso, você precisa entrar em contato com algo que vem lá atrás, sua identidade. Por quê? É lá que você vai entender o que você veio fazer e quais valores você entrega oferecendo o seu trabalho.

Você sabe qual é a sua contribuição única? Como você se diferencia dos profissionais que fazem a mesma coisa que você? 

Eu, por exemplo, ao criar o Memória Seletiva, descobri que o que me diferenciava das agências de social media (embora ter vindo de uma) é que, em quase todos os casos, prefiro oferecer meu conhecimento para ensinar quem quer aprender a fazer com as próprias mãos do que ser produtora de conteúdo. E essa minha escolha se deu por alguns motivos:

  1. Ofereço autonomia e liberdade para as pessoas que atendo e para mim mesma
  2. Crio relações onde existe uma contribuição mútua para fazer o negócio acontecer
  3. Conquisto sustentabilidade financeira ao cobrar menos que as agências, mas atendo mais pessoas e projetos que realmente me identifico. 

Ou seja, antes de começar a divulgar os meus serviços, eu já sabia o que fazia sentido pra mim e a importância de transmitir isso para todas as pessoas que me procuravam. 

O próximo passo é criar uma estratégia de divulgação baseada em seus objetivos. O que você mais precisa nesse momento? Vender mais? Mas, você já apresentou o seu conceito para as pessoas? Ou acha que elas vão comprar, sem te conhecer direito? É nesse momento que a gente coloca nosso conteúdo em caixinhas, ou seja, em tipologias, como: institucional, conceitual, de inspiração, externo. Depois, é só pensar na distribuição desse material. 

Bom, feito isso, vamos para o que interessa: o seu conhecimento. 

Já conheci várias pessoas que se sentem receosas em expressar seu conhecimento aqui na internet, não porque se sentem inseguras, mas principalmente porque acham que fazendo isso, as pessoas vão se contentar com aquilo e não comprarão os seus produtos e serviços. Ou então porque seus concorrentes terão contato com o que ela entrega de melhor. 

Eu, já acredito no contrário. Quando mais e melhor você conseguir se expressar, mais chances você tem de criar comunidade ao seu redor. As pessoas se sentirão mais confortáveis em se aproximar de você e desfrutar do que você tem a oferecer. Além de tudo, a partir disso você pode criar parcerias super valiosas. 

Criar um cronograma de pauta e um calendário mensal, onde você organiza os seus conteúdos é a melhor maneira de colocar tudo em um lugar só. Depois de criar esses formulários, basta tirar um tempo na semana para preparar os posts. 

Faltou criatividade? Dá uma olhada nas suas referências, avalie o que tem sido publicado, veja como os seus amigos estão fazendo, filtre o que serve pra você e... aja! 

Como falei, na semana que vem darei o curso Criando o meu Manual de Identidade Digital, na vila madalena, em São Paulo. Serão 4 encontros, realizados às terças-feiras, nos dias 7, 14, 21 e 28 de junho. Aqui, você encontra mais informações. E aproveita que as inscrições estão na reta final para ganhar 20% de desconto no valor do curso. Entre hoje e amanhã, de R$840, você paga R$672 (em até 4 vezes).

Ficou com alguma dúvida? Me escreve!