Internet: a casa do Nômade Digital

Texto originalmente escrito para o Catraca Livre Viagem


IMG_0642.JPG

Não precisa ser um nômade digital para saber que a internet é um dos ambientes mais importantes hoje em dia para quem quer ser visto e lembrado. Se você é um pequeno empreendedor como eu, há de concordar comigo que ela é o alicerce que facilita a conexão e aproxima a relação entre nós e o nosso cliente final.

Mas, diferente de quem tem um espaço físico ou de quem empreende em um único local, os nômades digitais não têm um ambiente fixo. Qualquer lugar é lugar para abrir o computador e começar a trabalhar --seja na cidade, na praia, no campo, na rua, na chuva, na fazenda ou na casinha de sapê. Sua verdadeira casa é seu site e suas redes sociais.

Desde que utilizada de forma pensada, a internet pode ser uma verdadeira impulsionadora desse estilo de vida tão sonhado, uma vez que estimula a gente a olhar para a nossa vida de fora e pensar os próximos passos com cautela.

Quando escolhi criar o meu próprio negócio, precisei bater bastante na tecla de que não sou uma freelancer, ou seja: não tapo buracos em agências, não pego job no meio do caminho, não sou uma máquina de escrever que apenas atende a necessidade de quem precisa se expressar.

Precisei mostrar com regularidade que os meus serviços foram pensados cuidadosamente e que a minha entrega é única, já o meu jeito de fazer é reflexo de vários fatores, incluindo o fato de que meus atendimentos são todos online, já que estou viajando. Foi então que a minha identidade na internet precisou ser reforçada e por consequência, ficou muito mais fácil continuar a caminhada, porque comecei a ser vista por mais gente e, conquistei mais clientes.

Hoje em dia, penso muito mais no processo de desenvolvimento do meu trabalho do que antes, afinal, a internet:

  • Estimula diariamente a praticar o olhar observador acerca de nós mesmos

Sem dúvidas viajar é um gatilho para o autoconhecimento. São em situações em que estamos mais vulneráveis que mais trabalhamos o nosso instinto de sobrevivência. E as relações que construímos ao longo da viagem passam a ser um exercício constante de aprimoramento das nossas qualidades e avaliação dos nossos defeitos - que geralmente se mostram quando sentimos dificuldade de lidar com determinada situação.

  • Faz a gente refletir sobre a melhor forma de organizar o nosso planejamento financeiro

A vida de um nômade digital é tão imprevisível que somos testados todos os dias a ter mais resiliência. Por isso, precisamos estar sempre preparados, pensando no plano B, caso o A não dê certo. Planejar o passo a passo da viagem, conhecer os nossos serviços, saber o que queremos vender e quando, são estratégias para melhor aproveitar a vida viajando.

Reduzir os custos da viagem trocando trabalho por hospedagem, por exemplo, também pode estar no planejamento para nos prevenir dos perrengues.

  • Faz a gente entender que o dinheiro não pode vir de uma única fonte

Desde que comecei a empreender, entendi a importância de pulverizar os meus serviços, afinal, para cada necessidade existe uma solução e quanto mais solução eu tiver no meu cardápio, mais conseguirei suprir as diferentes necessidades das pessoas que se aproximam de mim (de nada adianta ter uma divulgação consistente e quando o cliente chegar eu não ter como atendê-lo). O bom disso é que passamos a ter diferentes fontes de renda, que, somadas, podem garantir um salário até maior do que trabalhando para uma única empresa.

  • Nos ajuda a nos conectar com as pessoas certas

A grande entrega da internet, na minha opinião, é a construção de comunidade, ou seja: criar relacionamento, rede de apoio, vínculos reais. Para isso acontecer, precisamos nos mostrar, interagir, trocar. Quanto mais autêntica for a nossa expressão, mais atrairemos as pessoas certas.

Quem viaja muito sabe: as únicas pessoas que temos quando estamos na estrada são outros viajantes. Sem sombra de dúvidas, a internet nos ajuda a conhecer pessoas que estão no mesmo barco e, a partir disso, a nos sentir mais seguros em soltar as asinhas.

  • E, claro, a registrar os bons momentos

E última coisa, não menos importante, é que hoje a internet é o lugar perfeito para registrar os bons momentos da viagem e guardar para sempre as recordações de experiências inesquecíveis que vivemos. Você vai ver com passa rápido e no final, restarão memórias e, com certeza, boas fotos!

Mayara CastroComment