Se juntas já causam, imagina juntas

Snapseed (3).jpg

Tenho pensado muito sobre as relações que fazemos ao longo da vida e como elas são essenciais para nos ajudar a tomar decisões que dizem respeito a nós mesmos. Como elas nos ajudam a andar para frente.

Nossos amigos, a gente escolhe. Tenho claramente viva a lembrança de algumas amizades que eu escolhi e que, no primeiro encontro, já sabia que virariam grandes parcerias. Sabe quando a presença do outro chega a instigar de tal forma que o corpo inteiro quer se comunicar? Que você quer absorver tudo o que aquela pessoa tem dentro dela? Comigo sempre foi assim. Meus amigos eu escolhi e continuo escolhendo, um a um.

Eu gosto muito de conhecer gente nova. E uma das formas que mais gosto de absorver conhecimento é conversando com as pessoas. Sempre preferi sentar e ouvir o outro ao abrir um livro, sozinha no quarto. Ouvir histórias me permite entrar em contato com emoções, me faz vibrar junto, me alimenta e me ensina. Não tem nada mais potente que a presença física.
Quando descobri que poderia usar essa "técnica" de escolher amigos no campo do trabalho, ou seja, me aproximar pessoas que têm os mesmos interesses que eu e, ao ajudá-las, ganhar algo em troca também, me senti como desvendando um segredo. 

Hoje revisitei a pasta onde guardo todos os materiais de todos os clientes. E descobri uma coisa em comum entre eles: quase todos (99%) são mulheres fodas, trabalhando duro e conquistando a sua merecida representatividade através dos seus trabalhos.

Mulheres que me inspiram. Que me mostram como conquistar o meu espaço onde quer que eu esteja. Que dirigem suas próprias vidas e usam a intuição como guia. Que observam, escutam, não têm medo de falar o que pensam, mesmo que os pensamentos possam mudar de uma hora pra outra. Abertas ao novo e que se vulnerabilizam o tempo inteiro porque na vida, sabem que nada é definitivo.

São mulheres que provavelmente já se sentiram desrespeitadas ou sem espaço diante de homens que não estão dispostos a ouvi-las - ou que, simplesmente, não as consideram no ambiente, principalmente quando diz respeito a decisões de trabalho. São aquelas que mesmo assim, não desistem porque sabem que a condição para que sejamos reconhecidas é a persistência.
São aquelas que carregam em si autoconfiança e insegurança, coragem e medo, razão e emoção, doçura e braveza, intensidade e leveza, tudo ao mesmo tempo (minha vã tentativa de explicar o inexplicável). Que não desistem por pouco.

Me sinto honrada de ter tanta mulher foda perto de mim. Obrigada amigas, parceiras, clientes, que compartilham comigo a deliciosa experiência de estar viva!

Vocês deviam conhecer o trabalho dessas mulheres:

  • Lella Sá
  • Rafa Cappai (Espaçonave)
  • Helena Camargo (H2C Arquitetura)
  • Diane Cossermeli (Terra W Estúdio)
  • Lilly Hastings
  • Mariana Stock (Prazerela)
  • Carmen Sampaio (Astrologar)
  • Mari Pelli (Roupa Livre)
  • Mariana Salles (Love Accounting)

 

Mayara CastroComment